Pra começo de conversa, temos de concordar que os resultados da equipe na competição está muito aquém do esperado, ainda mais após as expectativas embaladas por um título no primeiro semestre. Não daremos desculpas ao nosso torcedor. Reconhecemos o desempenho até aqui, e lutaremos até o final para melhorar a situação na tabela. As chances de classificação ainda são reais, e logo vamos falar sobre. 

Perder clássico em casa parece o fim do mundo, e de fato é. Mas existem situações mais extremas, cujas quais não nos atormentam. E entre três e quatro, Campeonato e Copinha, título ou classificação, eliminar o rival ou apenas complicá-lo... 

É aquele ditado...

sdsdsdsd

Na tarde de domingo (18.09), o Guarany foi derrotado pelo rival no clássico de número 425, e viu as chances de classificação se dispersarem um pouco mais. 

No início de jogo, o clima não demonstrava que seria uma partida de bastante gols. As equipes pouco atacavam, e lances perigosos praticamente não existiram. O gol do Bagé aconteceu com Anderson Uruguaiana aos 16 minutos, e foi, inclusive, oriundo de uma bola parada.

Após um primeiro tempo morno, o Guarany foi ao vestiário com um resultado desfavorável, mas plenamente reversível. E foi com essa mentalidade que voltou para o segundo tempo. Até porque, a vitória era o único resultado que interessava. E como diz o técnico Geverton: Não pode ser diferente!

Mesmo que tivesse entrado focado para a etapa complementar, logo aos 3 minutos, Diego chutou da entrada da área e ampliou para a equipe jalde-negra. A partir daí, o alvirrubro se desastabilizou e quebrou o clima de reação. Tanto que, antes de esboçar alguma pressão e chance de descontar, o Bagé ainda fez mais um, com Wesley: 3x0.

Após o terceiro gol, o Bagé não atacou mais. O Guarany não queria sair com uma goleada, e enfim foi pra cima. Após muita pressão, bons toques de bola e milagres do goleiro adversário, a equipe enfim descontou, com Welder, de cabeça: 3x1.  Nada de goleada em clássicos por essas bandas (é aquele ditado...)

A sensação que ficou é que a reação poderia ter ido mais além. A partida foi marcada por muitos erros de arbitragens, o que comprometeu a intensidade da pressão no final do jogo. Muita cera, confusão e outros lances não marcados, esses foram alguns dos ingredientes de uma tarde decepcionante (mas não fatal) no Estrela D'Alva.

O Guarany foi a campo com:

Bernardo, Xandy, Guilherme Moller (Ledesma), Elias (Pedro Junior), Luis Felipe, Gustavo Nogy, Bruno Barbosa, Cris Magno (Igor Talismã), Ednei (Flavinho), Welder e Bruno Flores.


E na copinha, há possibilidades?

dfddf

Matematicamente, muitas. O próximo jogo é contra o Grêmio, fora de casa, em confronto direto pela vaga. Uma vitória nos deixaria empatados em pontuação. Além do mais, o SC São Paulo, ainda que tenha uma partida a menos, também está apenas três pontos a frente. Há nove em disputa.

saddsasda

Em tempo, um agradecimento a nossa sempre vibrante torcida, um espetáculo à parte na divisão de acesso 2017.

BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

© 2016 SIGA Sistemas

Guarany Futebol Clube

Rua Gaspar Silveira Martins, 70
Bagé-RS | Brasil
contato@guaranyfutebolclube.com.br