dfdfdf

O time fez uma excelente partida, pressionou os mandantes, mas novamente não voltou com a vitória devido a um início em desvantagem. Mas enfim, com entrosamento, parece que temos o Guarany do primeiro semestre de volta. Aquele time que, período sim, período não, vinha incomodando os adversários na Copa José Luiz Barreto.

O retrato do jogo de hoje também aconteceu no clássico Bagua, saindo em desvantagem e correndo atrás do prejuízo. Mas em Rio Grande, a equipe do técnico Geverton não teve apagão, e levou gols em detalhes e lances onde não houveram falhas, e sim méritos do adversário. O Guarany teve forças para alcançar, ainda , o empate, contra uma das equipes mais forte do Campeonato Gaúcho.

Nos primeiros minutos, parecia que o clima seria diferente. Mesmo que os alvirrubros estivessem dando espaços para o São Paulo atacar, também conseguiam realizar suas jogadas e fazer um jogo parelho. Mas não demorou para que o rubro-verde assumisse um domínio inicial.

Aos 21 minutos, em contra-ataque, a bola é alçada na área e o camisa 10 do São Paulo, Athos, manda para o fundo das redes. O Guarany teve uma leve dispersão durante esse período, e permitiu os mandantes ampliarem o placar, agora com Reinaldo. Antes disso, o atacante Ledesma quase beliscou um empate, mandando a bola muito próxima, após cobrança de falta de Cris Magno.

O goleiro Bernardo também fez algumas boas defesas, e contribuiu para manter o Guarany no jogo. No segundo tempo, o time da casa se viu pressionado pelo índio, que não se entregou.

O primeiro gol ainda levou alguns ataques frustrados para acontecer, o que aumentou a sensação de que a derrota já era realidade, apesar de uma ótima partida. Ainda mais frente a uma equipe com folha salarial muito maior, que é a que o São Paulo tem hoje. Mas no contexto daquele velho clássico regional, apesar de hoje as fases serem distintas, não existe favoritismo. E o Guarany continuou tentando.

Aos 16 minutos, o camisa 10, Welder, recebe e manda para o fundo das redes, marcando o seu quinto gol na competição. São Paulo 2-1.

O adversário, assustado com a possibilidade de empate, voltou ao ataque, o que deu mais espaços para o Guarany sonhar com o empate. E foi o que aconteceu: após falha individual da zaga são-paulina, a bola cai nos pés... de quem? Welder! Marcando o segundo gol do Guarany e trazendo um ponto importantíssimo da cidade de Rio Grande.

Final de jogo: São Paulo 2x2 Guarany

O índio bajeense jogou com:
Bernardo, Elias, Xandy, Guilherme Moller, G. Nogy, Luis Felipe, B. Barbosa, B. Flores, Cris Magno (Pedro Junior), Welder (Léo Korte) e Ledesma (Igor).

A próxima partida é um clássico Ba-Gua extremamente decisivo para a vida do Guarany na competição, que combinado com uma vitória do Internacional, ou um empate, no Gre-Nal, pode colocar o Guarany na zona de classificação. A partida acontece no próximo domingo, no Estádio Estrela D'Alva.

BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

© 2016 SIGA Sistemas

Guarany Futebol Clube

Rua Gaspar Silveira Martins, 70
Bagé-RS | Brasil
contato@guaranyfutebolclube.com.br